sexta-feira, 25 de agosto de 2017

O homossexualismo é coisa da natureza



“Angustiado estou por ti, meu irmão Jônatas; tu eras amabilíssimo para comigo! Excepcional era o teu amor, ultrapassando o amor de mulheres.” (Samuel II 1.26)

O homossexualismo é coisa da natureza e se a natureza é o próprio Deus, o homossexualismo é coisa de Deus. O que há de pecado no fato de uma pessoa se sentir atraída por uma pessoa do mesmo sexo? Nada! Pecado existe é no fato de uma pessoa criticar, condenar e agredir com palavras e fisicamente o seu próximo. Isso é pecado, e pecado mortal.

Hoje em dia ninguém tem mais dúvida de que o homossexualismo é de origem genética.  As pessoas que utilizam este argumento afirmam que há “causas biológicas” para o homossexualismo. Os homossexuais (tanto homens como mulheres) já nascem assim. Essa é uma verdade inquestionável. 

Assim como existe o hermafroditismo, existe o homossexualismo, que pode até ser considerado um erro da natureza, mas nada que seja encarado como algo pecaminoso e que mereça ser condenado pela justiça humana e por seitas religiosas. Críticas e condenações que convenhamos, agride o primeiro e duplo mandamento da Lei de Deus, que diz: “Amarás ao teu Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo”. Quem não ama ao seu próximo não ama Deus, isso é ponto pacifico.

Como se não bastasse só a origem genética do homossexualismo, o que é razão suficiente para que qualquer ser humano respeite a natureza do outro, convém lembrar que não existe nenhuma família que não tenha um homossexual, seja ele masculino ou feminino, o que nos leva a não criticar e condenar comportamentos (desejos, sensações e vontades) de quem se sente atraído por pessoas do mesmo sexo.

A Bíblia fala do amor carnal entre o rei David e Jônatas, o filho do rei Saul. Quem não ama ao seu próximo, como a si mesmo, seja ele homossexual ou não, não passa de um herege, de um falso moralista e de um falso cristão.
Postar um comentário