quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Lula já admite trabalhar com um plano "B"



Se eu não puder ser candidato, a gente arruma alguém para ser”. (Frase de Luís Inácio Lula da Silva)


A chance do ex-presidente da república Luís Inácio Lula da Silva, vir a disputar à sucessão do presidente Michel Temer é bastante remota, mas esse petista poderá ser um grande cabo eleitoral, capaz até de eleger presidente da república o ex-governador gaúcho Olívio Dutra, o ex-prefeito da cidade São Paulo, Fernando Haddad ou o ex-ministro da Justiça dos governos Dilma Rousseff e ex-Ouvidor-Geral da União, José Eduardo Cardozo. Necessariamente nesta ordem. 
 
Lula foi abatido em pleno voo pela Operação Lava Jato ao ser condenado a nove anos e seis de prisão em primeira instância, uma condenação que deverá ser confirmada em segunda instância, por um trio de desembargadores formado por João Pedro Gebran Neto (foto), Leandro Paulsen e Victor Luís dos Santo Laus, todos da 8.ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4) e liderados pelo paranaense João Pedro Gebran Neto.

Contra Lula e o PT existem os escândalos do Mensalão e do Petrolão que estão colados na imagem do Partido dos Trabalhadores (PT), como um adesivo que depois de colado leva muito difícil de ser removido ou apagado.

O PT e Lula para voltarem a merecer o respeito do povo brasileiro, vão ter que passar por um longo processo de depuração, expiação, limpeza e depois fazer mea culpa e admitir publicamente que cometeram muitos ao chegar ao poder e no poder muitos petistas se locupletaram. 

É inegável os avanços que aconteceram no país com a chegada do PT ao poder, mas é também incontestável que o PT no poder cometeu muitos erros, erros que um partido decente não comete. Erros considerados por analistas e jornalistas políticos como sendo erros crassos.

O que ainda conta a favor do PT são os programas sociais que poderão fazer a diferença no palanques, sobretudo no palanque eletrônico. Quem viver verá?
Postar um comentário