quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Leitura dinâmica



O ministro da Fazenda Henrique Meirelles, está completamente perdido, porque não consegue retirar o país do atoleiro econômico em que se encontra. O rombo do ajuste de milhões de reais e que acaba de ser anunciado é a clara demonstração de que o governo Temer fracassou na área mais sensível do país que é a área econômica. Sem conseguir reduzir o assustador índice de desemprego e sem convencer os investidores internos e externos de que os fundamentos econômicos introduzidos por ele estão no rumo certo, Meirelles não é mais uma unanimidade no governo do PMDB. É visível o abatimento moral desse que até bem pouco tempo era tido como o homem capaz de salvar o país. Até por petistas.   

Um governo tóxico

Um governo tóxico é aquele que produz efeitos nocivos ao país. Esse parece ser o caso do governo Temer, que todos os dias está nas manchetes principais dos jornais impressos, nos sites de notícias, nas TVs abertas, por assinaturas e nas emissoras de rádio de todo o país. A cada dia este país é agredido com mais um escândalo produzido pelo governo Temer. O mais recente é o caso da aprovação da concessão de apartamento funcional para duas assessoras pessoais da primeira-dama, Marcela Temer. Denise Silva dos Reis Leal e Cintia Borba estão lotadas no gabinete presidencial.  

O “centrão” está tirando o sono de Temer

O responsável por livrar Michel Temer de um pedido de autorização ao STF para investiga-lo, feito pelo Procurador-Geral da República Rodrigo Janot ao plenário da Câmara Federal, um bloco de partidos conhecido como “centrão”, após essa vitória de Pirro, anda apresentando suas faturas ao presidente e exigindo um tratamento diferenciado de parte de um presidente fraco, fragilizado e sob permanente ameaça de investigação e processo. Essa ameaça faz de Temer um refém do centrão e de políticos fisiologistas e pragmáticos.

Rodrigo Maia desmoralizou a OAB
A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) protocolou dois pedidos de impeachment do presidente Temer na Câmara Federal e esses pedidos foram ignorados pelo presidente dessa casa, o deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ). Isso revela a perda de importância e relevância de uma instituição que num passado recente era ouvida e muito respeitada, como sob o comando do advogado Raimundo Faoro. Tristes dias estes nossos!  
Postar um comentário