segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Forças "nada ocultas" conspiram contra a Operação Lava Jato





Identificar essas forças ocultas não é uma missão impossível, basta mirar o nosso espectro político e a nossa classe dirigente

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux e o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, em recentes manifestações citaram a Operação Mãos Limpas, que apurou a corrupção na política italiana na década de 1990, como demonstração de concordância com alguns pontos da Operação Lava Jato. Após ouvirmos as manifestações desse ministro do STF e do PGR é fácil concluir que existe em movimento uma conspiração contra a Operação Lava Jato. Uma operação que se propõe redentora e moralizadora deste país.

A sorte dessa operação brasileira é que a nossa classe política atual é a mais desmoralizada que se tem notícia. Em qualquer pesquisa que seja feita hoje sobre as instituições brasileiras, o Congresso Nacional é a pior avaliada pelo povo brasileiro. Aparecendo no topo das pesquisas, as Forças Armadas como a instituição mais confiável aos olhos do país.

As últimas manifestações que aconteceram neste país, foram de apoio a Operação Lava Jato e a sua Força Tarefa, capitaneadas pelos juízes Sérgio Moro, Marcelo Bretas e os procuradores da república em Curitiba e na cidade do Rio de Janeiro.   

Em que pese a desconfiança do povo brasileiro na sua classe dirigente e política, no Brasil ainda há juízes e procuradores comprometidos com uma nação decente e digna. Todo apoio à Operação Lava jato. Sem ela o país está condenado a ser mais republiqueta de banana.
Postar um comentário