terça-feira, 8 de agosto de 2017

A poesia segundo Tomazia Arouche



Olhando sempre pelo retrovisor

Sigo em frente
mas olhando sempre
todo tempo
pelo retrovisor
preso ao passado
vivendo de lembranças porque o futuro
não me interessa
até porque eu não sei se terei futuro
o que também não me importa
se sigo adiante, é porque eu me alimento de
lembranças
me alimento do que me fez feliz.

Algumas pessoas conseguem seguir em frente
sem ficarem presas ao passado
Confesso que não consigo e não quero
Sem as minhas lembranças, os meus dias de
pessoa idosa seriam completamente sem sentido,
nada interessante e vazios.

Lembranças representadas pelas minhas filhas,
pelos meus amores, pelos meus amigos e
coisas que só através do que lembro
é que continuam existindo.

Tomazia Arouche
Postar um comentário