sexta-feira, 28 de abril de 2017

Eles não sobreviverão ao ano de 2018

Quem são os inimigos dos trabalhadores brasileiros? São os “nossos congressistas” que preferem apoiar o governo, o que significa votar contra os interesses do povo brasileiro. 

No estado do Piauí, por exemplo, dos 10 parlamentares com assento na Câmara Federal, apenas um votou contra a reforma trabalhista. 

Os projetos dos parlamentares que desejam reeleger-se em 2018 vão ser modificados, porque a Operação Lava Jato e o povo brasileiro vão expurgar da cena política brasileira, aqueles que deliberadamente se posicionaram contra os interesses dos trabalhadores empregados e daqueles que pretendem ingressar num mercado de trabalhado cada vez mais seletivo e excludente. Partidos com PMDB, PP, PT, PSDB serão desidratados na eleição do próximo ano.

Anotem os nomes dos deputados federais piauienses que votaram contra o povo brasileiro na votação da reforma trabalhista: Marcelo Castro (PMDB), Iracema Portela (PP), Júlio Cesar Lima (PSD), Rodrigo Martins (PSB), Atila Lira (PSB), Heráclito Fortes (PSB), Paes Landim (PTB) e os suplentes de deputados Silas Freire (foto) e Mainha. Isso mesmo, você não leu errado: Mainha.

O Brasil parou!





As estações do metrô estão vazias

Sindicatos e movimentos sociais param São Paulo (o coração do Brasil) pela primeira vez em 2017. Protestos acontecem em quase todas capitais. Em São Luís do Maranhão os ônibus estão todos parados nas garagens.

Pelo que está sendo mostrado pelas emissoras de televisão, o país parou nesta sexta-feira (28), atendendo a uma convocação dos  trabalhadores e do povo brasileiro para participar de uma greve geral, feita pelos sindicatos e por uma parte significativa da Igreja Católica, que sensível ao momento particularmente difícil por que passa o país, resolveu se engajar numa luta que pretende salvar o trabalhador brasileiro da sanha do presidente, do seu partido, o PMDB e dos partidos que lhe emprestam apoio, assim como: PP, PSD, DEM e PSDB.

Essa greve geral é um grito de alerta a um país que está sendo vítima de Temer, do seu partido e dos partidos aliados de um governo que não conta com o apoio da maioria expressiva do povo brasileiro - e que está sendo vítima desse governo que com as propostas das reformas trabalhista e previdenciária que elimina direitos dos trabalhadores consagrados na Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) e que impede o trabalhador, sobretudo o trabalhador da iniciativa privada vir se aposentar um dia. 

Até este momento em que escrevo esta matéria, a greve geral é um sucesso, devido, sobretudo à adesão dos trabalhadores do transporte coletivo, dos metroviários, aeroviários e dos servidores públicos que se mobilizaram em todo o país para conscientizar o povo brasileiro, sobre a importância dessa greve.

A propósito: é muito triste ver trabalhadores, como jornalistas e policiais trabalharem contra uma greve que é a favor do trabalhador brasileiro. É óbvio que eles estão sendo obrigados, porque eles precisam manter o emprego.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

A poesia segundo Zé da Luz



Brasi Caboco


O qui é Brasí Caboco?
É um Brasi diferente
do Brasí das capitá.
É um Brasi brasilêro,
sem mistura de instrangero,
um Brasi nacioná!


É o Brasi qui não veste
liforme de gazimira,
camisa de peito duro,
com butuadura de ouro...
Brasi caboco só veste,
camisa grossa de lista,
carça de brim da “polista”
gibão e chapéu de coro!


Brasi caboco num come
assentado nos banquete,
misturado cum os home
de casaca e anelão...
Brasi caboco só come
o bode seco, o feijão,
e as veiz uma panelada,
um pirão de carne verde,
nos dias da inleição
quando vai servi de iscada
prus home de posição.


Brasi caboco num sabe
falá ingrês nem francês,
munto meno o português
qui os outros fala imprestado...
Brasi caboco num inscreve;
munto má assina o nome
pra votar pru mode os home
Sê gunverno e diputado


Mas porém. Brasi caboco,
é um Brasi brasileiro,
sem mistura de instrangero
Um Brasi nacioná!


É o Brasi sertanejo
dos coco, das imbolada,
dos samba, dos vialejo,
zabumba e caracaxá!


É o Brasi das vaquejada,
do aboio dos vaquero,
do arranco das boiada
nos fechado ou tabulero!


É o Brasi das caboca
qui tem os óio feiticero,
qui tem a boca incarnada,
como fruta de cardoro
quando ela nasce alejada!


É o Brasi das promessa
nas noite de São João!
dos carro de boi cantano
pela boca dos cocão.


É o Brasi das caboca
qui cum sabença gunverna,
vinte e cinco pá-de-birro
cum a munfada entre as perna!


Brasi das briga de galo!
do jogo de “sôco-tôco”!
É o Brasi dos caboco
amansadô de cavalo!
É o Brasi dos cantadô,
desses caboco afamado,
qui nos verso improvisado,
sirrindo, cantáro o amô;
cantando choraro as mágua:
Brasi de Pelino Guedes,
de Inácio da Catingueira,
de Umbelino do Texera
e Romano de Mãe-d’água!


É o Brasi das caboca,
qui de noite se dibruça,
machucando o peito virge
no batente das jinela...
Vendo, os caboco pachola
qui geme, chora e soluça
nas cordas de uma viola,
ruendo paxão pru ela!


É esse o Brasi caboco.
Um Brasi bem brasilero,
sem mistura de instrangêro
Um Brasía nacioná!


Brasi, qui foi, eu tô certo
argum dia discuberto,
pru Pêdo Arves Cabrá
.

Severino de Andrade Silva (Zé da Luz), nasceu em Itabaiana (PB) em 29/03/1904 e faleceu no Rio de Janeiro-RJ, em 12/02/1965.

Caetano Veloso - Transa

<iframe width="560" height="315" src="https://www.youtube.com/embed/EPIRpI0GtDc" frameborder="0" allowfullscreen></iframe>

2018 será o ano de ajuste de contas com os nossos congressistas



Temer vai entrar para a história do Brasil com o algoz do povo brasileiro

Os deputados que votarem a favor da reforma previdenciária da forma como ela está sendo apresentada ao povo brasileiro e pretendia pelo presidente Temer, serão condenados ao fim prematuro das suas carreiras políticas em 2018.

Uma das justificativas para aplicar a reforma da previdência é que a expectativa de vida dos Brasileiros aumentou para 75,5 anos e por isso seria insustentável manter as atuais regras da previdência.

Só que essa expectativa de vida é apenas uma média de toda a população, que incluí os ricos. O IBGE não divulga a expectativa de vida de acordo com a classe social, mas certamente a expectativa de vida entre os mais pobres é bem inferior a essa média. Estudos realizados nos Estados Unidos sugerem que a diferença na expectativa de vida entre ricos e pobres pode chegar a 11 anos.

A maioria da população vai morrer antes de conseguir se aposentar, caso a nova regra seja aprovada. O aumento do tempo de contribuição, o aumento da idade e a alta rotatividade do emprego, farão com que só uns poucos servidores públicos conseguirão se aposentar.

Com essa reforma, a verdadeira aposentadoria d trabalhador brasileiro acaba sendo a morte. Essa ideia de expectativa de vida do brasileiro é falsa, porque ela só vale para os ricos. A maioria dos brasileiros com 65 anos de idade não tem saúde física e mental para continuar trabalhado.