quarta-feira, 30 de novembro de 2016

O PT, PP e PMDB votaram unidos contra juízes e procuradores



O PMDB e PP sócios do PT no negócio do Petrolão, deram, respectivamente, 46 e 34 votos favoráveis à aprovação da emenda que pune juízes e procuradores. Dos 56 deputados federais do PT com assento na Câmara Federal, 55 votaram ontem a emenda que tipifica o abuso de autoridade de juízes e procuradores do Ministério Público, uma das distorções no pacote anticorrupção aprovadas na Câmara.

Contra o Poder Judiciário ainda votaram políticos o PSOL, do Partido Rede de Sustentabilidade e o PDT. Numa palavra, a esquerda votou unida contra o pacote de medidas anticorrupção e em contrapartida vão poder contar com o apoio de mais de 90% da Câmara Federal para que partidos “nanicos” como PSOL, REDE, PC do B e PDT não sejam atingidos pela reforma política.

À esquerda brasileira, faz qualquer negócio, desde que as sinecuras e vidas mansas dos seus militantes sejam garantidas.  

Nuvens carregadas sobre o país



O vácuo político que foi criado no país, com a ascensão de um governo antipopular e herdeiro de governos que investiram no populismo, no clientelismo, no fisiologismo e paternalismo político e acabaram por jogar este país numa situação que beira a anomia política e ao desgoverno, criou um ambiente propício a anarquia e o despudor.

O momento que este país vive é de extrema gravidade e o ambiente é muito favorável para que exploda uma convulsão social que ninguém pode prever sua dimensão, haja vista, o clima de tensão que tomou o país a partir de 2013, quando o Brasil foi tomado por multidões que exigiam reformas profundas na vida do país. O povo brasileiro gritou e se revoltou contra a nossa classe dirigente e o parlamento brasileiro que sempre se mostraram fora de sintonia com a sociedade brasileira, por não dialogarem e trabalharem pelo bem comum.

A dessintonia entre o Poder Legislativo e a sociedade brasileira, ficou mais uma vez evidenciado, na noite de ontem (29/11) quando a Câmara Federal desfigurou um pacote de medidas propostas por um projeto de iniciativa popular, pensado para inibir as ações de corruptos e corruptores contumazes. Na noite de ontem a Câmara Federal deixou manifesta a sua opção pelo corporativismo e pela sobrevivência dos políticos e partidos que para existirem não dependem do povo.

O ambiente que nós vivemos é muito perigoso e tudo poderá acontecer num curto de tempo se não houver um chamamento à razão e um apelo a formação de um Pacto Social que seja capaz de unir e salvar o país de uma tragédia anunciada.

O diagnóstico o povo brasileiro já tem dos problemas, mas lhe falta um líder, uma liderança capaz de conduzir está nação a um porto seguro.

Por Anthony-Isaac Silvestre de Sacy Souza

Rios genuinamente maranhenses

O estado do Maranhão acaba sendo um grande pântano ou alagadiço, cercado de água pelo Oceano Atlântico (são 640km de litoral, o segundo maior do Brasil), pelo Rio Parnaíba que separa este estado do estado Piauí, pelo rio Tocantins que separa o Maranhão do estado homônimo, pelo rio Gurupi que separa o Maranhão do estado do Pará.  

O estado do Maranhão é cortado em todas as suas direções por grandes rios, como o Rio Itapecuru com 1450km de comprimento, o Rio Mearim com 930km, o Rio Pindaré com 686km, o Rio Grajaú com 550km, o Rio Balsas (maior afluente do Rio Parnaíba) com 510km, Rio Corda com 240km, o Rio Preguiças com 100km aproximadamente. Esses os maiores e mais importantes.

Fenômeno da Pororoca (trata-se de um fenômeno natural produzido pelo encontro das correntes fluviais com as águas oceânicas) do Rio Mearim.  







Oceano Atlântico
Oceano Atlântico
Oceano Atlântico

No llores por mi Argentina - NACHA GUEVARA

<iframe width="560" height="315" src="https://www.youtube.com/embed/e_3wc2TFSCQ" frameborder="0" allowfullscreen></iframe>

O ar solene de um político viciado em poder



Quem visse pela primeira vez, o deputado federal Rodrigo Maia na noite de ontem (29/11) presidindo a sessão que votou pelo ‘engessamento do Poder Judiciário’, julgava estar diante de um político investido dos mais nobres propósitos e sentimentos, porque o ar solene desse político à moda antiga e político profissional, induzia qualquer pessoa ao erro. 

O presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia é filho e genro de políticos profissionais, e o próprio parlamentar fluminense é um político profissional, sem ter nunca tido uma atividade fora do setor público e do parlamento. Com assento há mais de 20 anos na Câmara Federal.

O deputado federal Rodrigo Maia, na noite de ontem afrontou por duas vezes o Poder Judiciário. A primeira afronta foi ter conduzido os trabalhos da sessão que votou e aprovou castigos aos juízes e promotores de justiça. A segunda afronta foi o presidente da Câmara Federal decidir pela instalação de uma comissão especial para rever uma decisão do STF sobre o aborto.    

Em tempo: o Poder Legislativo resolveu peitar o Poder Judiciário ao engessar juízes e promotores de justiça. A primeira vítima desse enfrentamento deverá ser o presidente do Senado, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) que estará sendo julgado no início do próximo mês. 

Juízes e promotores são alvos de vingança



“Num instante em que tramitam na Câmara e no Senado propostas que sugerem formas de imprensar juízes e procuradores que imprensam deputados e senadores, a presidente do Supremo Tribunal Federal levou os lábios ao trombone. No comando de uma sessão do Conselho Nacional de Justiça, a ministra Cármen Lúcia disse que, hoje, a palavra ‘justiça’ é pronunciada até em “programas de entretenimento”. (Jornalista Josias de Souza)

A instituição mais desmoralizada do país, o parlamento brasileiro, num momento de extrema gravidade, motivado pelos sucessivos erros da nossa classe política, para defender o indefensável, une os partidos de esquerda e direita para derrotar juízes e promotores de justiça, que lutam bravamente pela construção de um país digno de admiração e respeito, interna e externamente.  

A vitória do PT, PMDB, PSDB, PC do B, PPS, PP, Rede de Sustentabilidade, PSOL e PDT sobre os juízes e promotores de justiça na noite de ontem (29/11), significa a derrota do país decente e que sonha com uma nação que seja admirada e respeitada mundo afora. O parlamento brasileiro que é a instituição pior avaliada pelo povo brasileiro, se vingou ontem da justiça brasileira, ao engessar o Poder Judiciário e o Ministério público.

Por essas e outras é que tem gente invadindo o plenário da Câmara Federal e pedindo a volta dos militares. A propósito, os militares que salvaram o Brasil da cubanização e venezuealização. Regimes que se caracterizam pela falta de liberdade de expressão, de locomoção e por um poder centralizador e castrador.   

Se Cuba e Venezuela fossem modelos de democracia, naturais desses dois países não morreriam tentando fugir desses dois regimes.